Virtualizacao na China

Estão de viagem marcada para Pequim Henrique Cota de Freitas, doutorando em Ciência da Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e um dos coordenadores do projeto Visa, e Manuela Klanovicz Ferreira graduanda e bolsista desse mesmo projeto, que é apoiado e mantido pelo Innovation Center UFRGS/Microsoft. Segundo Henrique, “o Visa busca tratar necessidades recentes de virtualização dentro da arquitetura de processadores com múltiplos núcleos, que estão se tornando cada vez mais populares. Acreditamos que esse projeto possa ser a base para o melhor desempenho de ambientes virtualizados.”

Mesmo ainda em definição, o termo “cloud computing” é usado quando refere-se ao uso de recursos computacionais que são “virtualizados” de acordo com a necessidade dos usuários e provedores de serviços. A idéia básica é que não será mais necessário adquirir um computador com determinada capacidade de processamente, memória e armazenamento em disco, mas sim contratar um “computador virtualizado” onde essa capacidade seja elástica e adequada dinamicamente às necessidades de uma aplicação e seu usuário. Máquinas virtuais podem dar mais desempenho e vazão ao cloud computing viabilizando sua existência. Um dos motivos do uso de máquinas virtuais em servidores web está relacionado com o aumento de desempenho, que é, justamente, um dos objetos de estudo do projeto Visa.

“Nosso apoio ao projeto Visa é em função da consciência que temos do ganho que esse estudo pode trazer aos gerenciadores de máquinas virtuais, como o Hyper-V e o Virtual-PC da Microsoft e tantos outros disponíveis para o Windows e outros sistemas como o Linux e o MacOS.”, afirma Roberto Prado, gerente de estratégias da Microsoft. O Visa pode resolver, na arquitetura dos processadores multi-core, com instruções de baixo nível que auxiliem na virtualização, questões que hoje têm que ser tratadas pelos próprios gerenciadores de máquinas virtuais.

Mas afinal, o que Henrique e Manuela farão na China? Manuela responde:
“Durante o desenvolvimento do projeto, que trata de temas bastante áridos como a arquitetura de processadores, simulação dos mesmos, linguagem Assembly e outros, preocupamo-nos em, de que maneira, tudo o que estávamos aprendendo pudesse ser transmitido também a outras pessoas e, ao longo do tempo, buscamos criar um material mais didático que pudesse ser usado como referência. Quando surgiu a oportunidade de apresentar o trabalho no WCAE
não tínhamos como avaliar a possibilidade da aprovação do mesmo, pois sabíamos que iríamos concorrer com trabalhos submetidos por acadêmicos do mundo inteiro. Mas, para nossa felicidade, nosso trabalho foi aprovado. Aí começou a correria para conseguirmos passagens, vistos e recursos para a viagem…”

O WCAE, Workshop on Computer Architecture Education acontece como parte do 35.o International Symposium on Computer Architecture que ocorre entre os dias 21 e 25 de junho próximos em Beijing, na China. O trabalho apresentado por Henrique e Manuela foi escrito com a colaboração do Professor Doutor Philippe Navaux, também coordenador do projeto, e tem como título “From Intel VT-x to MIPS: An ArchC-based Model to Understanding the Hardware Virtualization Support” (Do Intel VT-x ao MIPS: Um modelo baseado em ArchC para o entendimento de virtualização em hardware).

Para saber mais sobre o Visa, visite a página do projeto em www.codeplex.com/visa

Saiba mais sobre os projetos de nossos Innovation Centers em parceria com Universidades brasileiras em www.codeplex.com/ndos


Tags: , , , , , ,

Voltar para as notícias

Os comentários estão encerrados.