2011 será o ano da Cloud Computing para a América Latina

Redução de custos, eficiência e novas oportunidades de negócio provaram ser fatores-chave para a adoção de Cloud Computing em 2010. Para a Microsoft, esses fatores serão cruciais ao longo de 2011 para aumentar a adoção da Computação em Nuvem por empresas da América Latina. Além dos benefícios da implementação da nuvem como um modelo de negócio, o sucesso desta adoção está intimamente relacionado com a habilidade da empresa para entender os diferentes tipos de nuvens que estão disponíveis, bem como identificar o melhor modelo para diferentes tipos de empresas.

Estudos sustentam a previsão de crescimento da Cloud Computing. Segundo o Gartner, até 2012, 80% das 1.000 empresas do ranking da Fortune vão usar algum serviço de Cloud Computing, enquanto 20% delas não terá ativos de TI. A Sougatech, por sua vez, prevê que até 2014 mais de 40% das novas despesas de TI de uma empresa, mais de 45% das novas cargas de trabalho de TI e mais de 25% do total da força de trabalho dos departamentos de TI serão baseados na nuvem.

De acordo com a IDC, os serviços em nuvem poderiam acrescentar mais de US$ 57 bilhões em receita líquida de novos negócios para a economia latino-americana entre o final de 2009 e o final de 2013. "O mercado de serviços em nuvem crescerá cinco vezes mais rápido do que o restante do mercado de TI, atingindo mundialmente US$29 bilhões em 2011, um valor significativo considerando que a tecnologia é recente", afirma Ricardo Villate, vice-presidente da IDC na América Latina. "No próximo ano, a indústria de tecnologia será marcada pela constante expansão da Cloud Computing, dado que o mercado global precisa de um modelo que seja radicalmente superior em termos de aquisições de recursos tecnológicos com o menor custo possível. Nesse sentido, o modelo de nuvem é certamente a melhor resposta", diz o analista.

Para as empresas, um dos benefícios mais atraentes de uma implantação de Cloud Computing é a redução de custos. "Reconhecemos que mudar ou modificar o modelo de TI dentro de uma empresa é uma importante decisão, principalmente para garantir o custo-benefício", diz César Cernuda, vice-presidente de Vendas, Marketing e Serviços da Microsoft América Latina. "A Microsoft tem demonstrado claramente que, quando as empresas migram seu modelo de TI para a nuvem, elas podem ter uma redução de custos de 10 a 50%, eliminando hardware, operações e custos com upgrade", completa o executivo.

Para as empresas que estão apenas começando a adotar Cloud Computing, é importante considerar os diferentes tipos de nuvens disponíveis e selecionar o mais adequado para suas necessidades. Os modelos mais comuns incluem a Nuvem Privada, Nuvem Pública e os que usam a nuvem para implementar o software como serviço.

Nuvem Privada

A Microsoft ajuda as empresas a construírem as suas próprias nuvens privadas em sua infraestrutura através da virtualização. Por exemplo, uma empresa que precisa de novos servidores para oferecer um novo serviço aos seus clientes pode aproveitar as tecnologias de virtualização assim como os servidores construídos no Windows Server 2008 R2. Isso permite que a Microsoft possa implementar o modelo de uma maneira rápida e com custo-benefício, sem os clientes terem que investir em caros equipamentos de hardware.

Nuvem Pública

A Microsoft ajuda empresas e desenvolvedores a usarem a nuvem pública como plataforma. Um exemplo disso é o uso do Windows Azure pelos desenvolvedores. Ao usar a nuvem como plataforma é possível desenvolver, instalar, executar e gerenciar aplicativos sem a necessidade de uma grande infraestrutura de TI.

Para conhecer mais sobre a nuvem e as soluções, ferramentas e recursos da Microsoft, visite Cloud Power website.

Sobre Porta25

O Porta25 é o portal de interoperabilidade da Microsoft, aqui você vai conferir novidades dos projetos de tecnologia que estão sendo desenvolvidos e que estão em produção. Bem como o andamento e introdução de novos padrões de mercado.

Tags: , , , ,

Voltar para as notícias

Os comentários estão encerrados.